Gestão da Manutenção alinhada a Gestão de Ativos

Gestão da Manutenção alinhada a Gestão de Ativos

Para que uma empresa seja competitiva, seu desempenho deve ser melhor do que de seus concorrentes. Mas afinal, o que ocasiona os gap´s nos níveis de resultado entre uma empresa tradicional, uma em processo de melhoria e uma de classe mundial? Segundo alguns especialistas na área de gestão de ativos, os gap´s correspondem a aproximadamente: 20% problemas tecnológicos e 80% prática de gestão. Esses dados demonstram que a gestão é fundamental para o sucesso do negócio, permeia o ambiente e determina o clima organizacional, envolvendo: estratégia, estrutura, comunicação, cultura, sistemas e processos. Assim, a alta direção será responsável em direcionar e orientar de maneira ótima e sustentável a gestão de ativos bem como convocar funcionários competentes e capacitados para colaborar na implementação. Cabe aos Gestores e Equipe de Manutenção, inicialmente, saber que devem ser competentes em realizar o seu trabalho, compreender os parâmetros operacionais e manter registros atualizados e apropriados.

  1. QUAL É O FOCO?

O foco é a Manutenção Proativa, pois, maximiza os benefícios, identifica antecipadamente os riscos potenciais e monitora o desempenho de atividades diárias.

Visão reativa: “Isso é impossível de mudar! ”

A Manutenção Reativa basicamente administra a quebra, por exemplo, a manutenção acidental é utilizada quando ocorre a quebra e a manutenção programada antecipa a quebra.

Visão proativa: “Vamos ver quais as opções! ”

A Manutenção Proativa administra o ciclo de vida, por exemplo, a gestão de ativos é praticada para manter, prolongar e melhorar o desempenho e a manutenção de melhoria para eliminar a quebra.

 

  1. ONDE ESTOU?

É fundamental realizar uma avaliação para identificar o gap entre o estado atual da Gestão da Manutenção e a Gestão de Ativos Físicos. Isso envolve conhecer as instalações e os ativos: saber quais são as suas funções; compreender como podem falhar; saber quais são as consequências; definir o que fazer, quando, como e quem; executar e controlar as tarefas.

 

  1. AONDE QUERO CHEGAR?

Níveis de Maturidade para a aplicação da Gestão de Ativos físicos ISO 55001 implicam em reconhecer os riscos, criar uma estratégia, reduzir os riscos e maximizar os resultados, a saber:

INOCENTE: Maturidade 0 – A organização não reconheceu a necessidade da implementação dos requisitos da norma e / ou não há evidências de que existam ações ou planos confiáveis ou compromisso de implementá-los.

CONSCIENTE: Maturidade 1 – A organização identificou a necessidade da implementação dos requisitos da norma e há evidências da intenção de avançar.

DESENVOLVIMENTO: Maturidade 2 – A organização identificou os meios para atingir de forma sistemática e consistente os requisitos do padrão e pode demonstrar que eles estão avançando, evoluindo com planos confiáveis e recursos associados.

COMPETENTE: Maturidade 3 – A organização pode demonstrar que de forma sistemática e consistente atinge os requisitos relevantes estabelecidos na ISO 55001.

OTIMIZAÇÃO: Depois da certificação – A organização pode demonstrar que está otimizando sistematicamente e consistentemente suas práticas de gestão de ativos, de acordo com os objetivos da organização e com o contexto operacional.

EXCELÊNCIA: Depois da certificação – A organização pode demonstrar que conta com as práticas líderes e atinge o valor máximo da gestão de seus ativos, alinhada aos objetivos da organização e ao contexto operacional.

 

Dicas GÊNESIS

As 10 Melhores Práticas da Manutenção de Classe Mundial, segundo a North American Maintenance Excellence Award:

  1. Trabalho em equipe;
  2. Contrato de terceiros orientados para a produtividade;
  3. Integração com fornecedores de sobressalentes e serviços;
  4. Apoio e visão da direção;
  5. Planejamento e Programação proativa;
  6. Melhoria contínua;
  7. Gestão disciplinada do estoque de materiais;
  8. Integração de sistemas;
  9. Gestão das paradas de manutenção da planta;
  10.  Produção baseada na confiabilidade.