Manutenção e o Plano Mestre

Manutenção e o Plano Mestre

O Plano Mestre de Manutenção Planejada é um mapa que contém a visão global de todos os serviços que deverão ser executados pela manutenção durante o período de um ano, por isso, está dividido em 52 semanas.

O Mapa de 52 Semanas apresenta a distribuição dos serviços de manutenção planejada por tipo: Manutenção Preventiva, Manutenção Preditiva e Lubrificação.

É uma representação visual e eficiente de gerenciar e planejar a manutenção a partir de um cronograma anual, constando basicamente as seguintes informações: etapa do processo de produção, tag, máquina, criticidade (A, B, C, D, E), somatório de criticidade, periodicidade e tempo total.

Esse documento dinâmico visa orientar os serviços de manutenção, por isso, deve ser revisitado e atualizado em um período pré-determinado pelos responsáveis por sua elaboração, operacionalização e gestão.

O plano mestre é de extrema importância à medida em que possibilita a manutenção planejar e programar a execução dos serviços com meses de antecedência, por conseguinte, aprovisionar recursos, materiais e equipamentos imprescindíveis para cumprimento efetivo de suas atividades.

Da mesma forma, é possível antecipar algumas ações que contribuirão para aumentar o percentual de disponibilidade dos ativos, gerar resultados sólidos, diminuir os ruídos na comunicação, garantir a previsibilidade do processo de manutenção através da:

  • Previsão de alocação dos profissionais por especialidade, considerando um conjunto de habilidades mandatórias para execução ágil e entrega dos serviços no prazo estabelecido nos planos.
  • Previsão de consumo de materiais, de aquisição de peças sobressalentes, de ferramental, de informações técnicas e, caso necessário, de contratação de serviços de terceiros.

Normalmente, na etapa de programação, o PCM negocia com o PCP a liberação dos equipamentos. Ao disponibilizar o equipamento no dia e hora combinados para a realização dos serviços de manutenção, tanto o PCP quanto o PCM e a Equipe responsável pela execução das atividades assumem o compromisso de melhorar os resultados daquele ativo.

Cabe destacar o óbvio, a integração e cooperação entre as áreas agrega valor ao negócio em termos de produtividade, qualidade e segurança.

Assim, o plano mestre de manutenção planejada formaliza os acordos feitos entre o PCM e o PCP, isso não significa um plano engessado porque ao utilizar a gestão a vista mostra a organização da manutenção para garantir o máximo desempenho e a confiabilidade intrínseca e operacional dos ativos.

Então, a eficiência na construção do plano mestre de manutenção planejada garante a gestão e operacionalização da execução dos planos, respeitando as prioridades definidas pela matriz de classificação de criticidade dos equipamentos e pelas demandas do negócio.

É importante levar em consideração para elaboração do plano mestre de manutenção planejada, os seguintes aspectos:

  • RECOMENDAÇÃO DO FABRICANTE, devemos seguir as indicações contidas nos manuais sobre o uso, conservação e a manutenção dos equipamentos a fim de assegurar o pleno funcionamento e garantia legal do fabricante do equipamento.
  • EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL DOS ESPECIALISTAS da manutenção, principalmente, sobre as atividades e sua periodicidade.
  • HISTÓRICO DOS EQUIPAMENTOS, trata-se do registro de todas as intervenções que ocorreram ao longo do ciclo de vida do equipamento. Assim, a manutenção precisa analisar o período entre as falhas e estratificar os conjuntos e componentes com mais ocorrência de problemas, com base nisso, elaborar ou revisar os planos de manutenção planejada.
  • SAZONALIDADE DO NEGÓCIO se refere a influência de fatores externos e relativamente previsíveis sobre a demanda por determinados produtos e serviços. Os fatores mais relacionados à sazonalidade são período do ano, estações, clima e datas comemorativas. Assim, a manutenção precisa compreender esses fatores e organizar o plano mestre de manutenção planejada considerando isso para potencializar o seu desempenho.
  • OPORTUNIDADES DE PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO, planejar suas atividades para momentos oportunos alinhados ao que é melhor para o negócio, mas lembrando em garantir a confiabilidade dos equipamentos e sistemas.
  • NIVELAMENTO DE RECURSOS, trata de distribuir as atividades planejadas ao longo do ano analisando a capacidade instalada de profissionais da manutenção e orçamento para peças e materiais. Assim, não sobrecarregar a equipe técnica e nem ultrapassar o orçamento de manutenção.

Deste modo, o plano mestre de manutenção planejada é uma das principais sistemáticas de trabalho, pois organiza e direciona a manutenção para atuar no momento certo a fim de antecipar a necessidade do cliente e atender suas expectativas especificas. Assim, garante a previsibilidade na execução das intervenções, reduzindo as falhas e a paradas imprevistas.

 

Dica Gênesis para o Gestor:

O fator de sucesso na implementação e efetividade do plano mestre de manutenção planejada (mapa de 52 semanas) é que os gestores forneçam as condições e recursos para a execução das atividades planejadas.  Isso, significa entender a relação entre o custo e tipo de manutenção, pois traçar as melhores estratégias de manutenção passa pelo equilíbrio Na aplicação da corretiva, preventiva e preditiva em virtude do impacto do equipamento para o negócio, ou seja, sua criticidade.

Logo, a referência original do WCM para distribuição de trabalho na manutenção, indica que 90% deve ser de manutenção programada e são aceitos 10% de manutenção não programada. Dessa forma, os percentuais referenciados  são:

  • 50% Manutenção Preventiva;
  • 20% Manutenção Preditiva;
  • 15% Manutenção Programada;
  • 5% Projetos e Melhorias;
  • 10% Corretiva de Emergência.

Como estão seus índices?

 

Autores:  Mara Rejane Fernandes e Moisés Fernandes Dias